MEIOS DE DIAGNÓSTICO


ANÁLISES CLÍNICAS

Existem vários tipos de análises clínicas, dependendo do objectivo do exame. Podemos destacar:
Análises sanguíneas para avaliar:
1. a quantidade e qualidade dos glóbulos vermelhos e brancos,
2. a capacidade de resposta inflamatória e de coagulação,
3. a integridade e a capacidade de funcionamento de órgãos internos (fígado, rins, vesícula biliar, etc),
4. a presença de hemo-parasitas.
Análises urinárias para avaliar:
1. a qualidade e quantidade de urina produzida,
2. a função renal,
3. a presença de cálculos urinários,
4. a presença de doenças sistémicas (como a diabetes).
Análises fecais para avaliar:
1. a presença de parasitas,
2. a função pancreática,
3. a existência de hemorragias do tracto gastro-intestinal.
Análises de tecidos recolhidos por biópsia ou de células recolhidas por citologia para identificar o processo em curso.

ECOCARDIOGRAFIA

A ecocardiografica não é mais do que uma ecografia realizada ao coração. No entanto, uma vez que as ondas emitidas pelo ecografo não atravessam osso, as "janelas" para a execução do exame são pequenas, apenas o espaço entre as costelas. Assim é um exame que requer muita perícia e treino. Este exame é frequentemente utilizado no diagnóstico de anormalidades das válvulas cardíacas ou na avaliação das paredes e função do coração.

ECOGRAFIA

Exame de imagem dinâmica no qual é possível avaliar os órgãos internos dos animais. Exige algum grau de conhecimento, mas para o animal é completamente indolor. Pode ser necessário recorrer a sedação em animais mais agitados. A ecografia pode ser utilizada para a realização de citologias do abdómen, chamadas citologias ecoguiadas, ou para recolha de urina directamente da bexiga, chamada cistocentese ecoguiada.

ELECTROCARDIOGRAMA

Trata-se de um procedimento rápido e indolor, que não exige anestesia nem mesmo sedação. Visa avaliar o estado do coração através da sua capacidade de condução eléctrica. É muitas vezes utilizado em animais com suspeita de patologia cardíaca e também nas avaliações pré ou pós-cirúrgicas.

RADIOGRAFIA SIMPLES

Estudo por imagem da estrutura óssea ou avaliação do tamanho e posição dos órgãos internos. É um exame simples, rápido e indolor onde só se justifica a sedação se o animal não for cooperante.

RADIOGRAFIA DE CONTRASTE

Em tudo semelhante à radiografia simples, é mais direccionado para a avaliação de órgãos internos. Recorre a substâncias como o ar ou compostos com bário para evidenciar o seu alvo. Frequentemente utilizado para avaliar tracto digestivo ou urinário.

RESSONÂNCIA MAGNETICA

Exame imagiológico complexo, mas indolor. Exige anestesia geral para que o animal se mantenha imóvel ao longo do procedimento. Permite adquirir informação detalhada sobre os órgãos internos e restantes tecidos moles. Utilizado para avaliar a sistema nervoso central, articulações e para a planeamento cirúrgico.

TAC

Exame imagiológico complexo, mas indolor. Exige anestesia geral para que o animal se mantenha imóvel ao longo do procedimento. Permite adquirir mais informação do que uma radiografia simples ao fornecer uma imagem tri-dimensional. Utilizado para avaliar a estrutura óssea e para a planeamento cirúrgico.

ENDOSCOPIA E COLONOSCOPIA

Porque por vezes é preciso chegar mais perto, inspeccionar minuciosamente ou simplesmente "ver o que estamos a fazer", as técnicas de endoscopia e de colonoscopia são importantes meios de diagnóstico e por vezes são também agentes do tratamento. Implicam a anestesia do animal e são procedimentos delicados, realizados somente por veterinários treinados e especializados para que não surjam problemas durante ou depois da endoscopia. São úteis no diagnóstico e resolução de problemas gastro-intestinais. A endoscopia tem grande relevância na remoção de objectos estranhos simples do estômago, por exemplo.